domingo, 19 de abril de 2009

A bola que ressuscitou

Plena quinta-feira à noite, todos na porta da faculdade depois da prova de matemática e contabilidade. Alguns acadêmicos decidem ir para um point, jogar um snooker e tomar umas cervejas, porque ninguém é de ferro. Dessa reunião, colhemos algumas pérolas no decorrer da noite. Talvez isso sirva para que as mulheres conheçam um pouco melhor o universo masculino. Acreditamos que nem a TV Cultura produziria um documentário tão educativo e proveitoso para acadêmicos de Administração. Aqui vão alguns trechos de frases e conversas da noite que, a rigor, deveriam ficar registrados num portfólio:
*
- pensei que a prova seria difícil...
- e não foi?
- não... estava impossível...
*
- Passivo Circulante é um viadinho dando voltas no Lago, à procura de um namorado...
- Procurando um Ativo Divertido...
- É Diferido...
- Coisa nenhuma. É falta de vergonha mesmo!
*
- Meu, você com esse cigarro largado na boca e mirando as bolas, está parecendo dono do jogo do bicho, chefe do tráfico no morro, uma coisa assim...
- Você acha mesmo? Estou tão bem assim?
*
- Da próxima vez vamos fazer um churrasco na pracinha, em frente à facu.
- Mas, não é proibido fazer churrasco na praça?
- Ninguém pode proibir a gente de fazer churrasco. A carne é minha e a Praça é pública. Em frente a outra escola que estudei, eu fazia. Os que estavam lá dentro reclamavam da fumaça e do cheiro. Pararam de reclamar quando começamos a passar o churrasco pela janela... Até o diretor elogiou...
*
- Paulão, não fica chateado. A gente tem que ser sonhador mesmo. Tudo o que existe, precisa ser sonhado antes...
- Sonho mesmo... quero o melhor e ninguém tem nada com isso! Para ter uma vida melhor, temos que sonhar e lutar. Como diria a Rita Lee: eles têm 3 carros, mas eu sei voar...
- Pô cara, que legal isso que você falou. ... Então voa! Amarra um lençol e vai fundo...
*
- Prestenção cara, aquela que tá jogando agora naquela mesa, a bundinha empinadinha...
- Fazendo pose...
- Pose nada, é desse jeito mesmo.
- Uiaaaaaaaaa, é mesmo... Original de fábrica...
- Bão, né?
- Ajeitada...
*
- Num gosto de gente que tem duas caras.
- Nem eu, principalmente quando as duas são feias...
*
- Não fico preparando jogada, miro a bola e desço porrada...
- Então joga logo...
- TÁ VENDO MALUCO? É ASSIM QUE SE MATA UMA BOLA. UAUUUUUU
- Se você não tivesse matado a bola deles, teria sido muito bom mesmo...
*
- Atende o celular!
- Merda, ela sempre me acha...
*
- Tô admirado, cara... é muito grande... é redondona, é enorme... é...
- É uma overbunda!
- Mas, é ajeitada.
*
- Você já reparou que bunduda só anda em grupo?
*
- Num falei que é mirar e dar porrada?
- Falou, mas precisa ajeitar a bola para a jogada seguinte...
- O que precisa é matar as bolas...
- Também precisa.
-...Num acredito, só faltava ela. Ela entrou na caçapa...
- É, mas saiu.
- A infeliz ressuscitou no terceiro dia!
*
- De quem é esse copo?
- Do bar...
*
- MATEI! MATEI!
- Jogou no meio, bateu no bico e morreu no fundo. Assim qualquer um mata. Rabudo!
- Mas matei! Puxa vida, cara, num precisa falar desse jeito, tá me magoando... você tá acabando com a minha auto-estima.
- Pô, desculpa cara...
- Desculpa nada. Saí da frente que é pra eu fazer outra cagada dessas!
*
- Precisava espairecer. Marvada TPM!
- TPM?
- Tô Puto Mesmo
*
- Atende o celular.
- Merda, ela me achou novamente!
*
- Não é possível! A bola ressuscitou de novo!
- Liga não, parceiro. Cê já matou todas as bolas imatáveis.
*
- A gente precisa fazer isso sempre...
- Fazer o quê? Prova?
- Não... reunir o pessoal, distrair-se com os amigos
- Toda semana...
- Duas vezes por semana...
- Todo fim de semana...
- O Bar do Mussarelli já abriu as inscrições para matrícula?
*
- Tchau pra todo mundo. Vou pra casa levar um ralo da mulher agora. São quase duas da manhã.
- Não achou que os caras pesaram a mão na conta?
- Achei sim. Mas, valeu a pena, né?
- Valeu sim. Só uma coisa me deixou invocado...
- O quê?
- Aquela bola que ressuscitou... ressuscitou 3 vezes. Parecia mulher feia; quando eu batia mais firme e pensava que tinha ido... ela de novo...
*
- Atende o celular.
- Merda. Como é que ela me encontra tanto, heim?
*
Este trabalho é a síntese significativa da aprendizagem adquirida no módulo O Direito de Tomar uma Skol Depois das Provas. É uma exigência do processo avaliativo dos amigos e tem como objetivo, exercitar os acadêmicos na capacidade de síntese e comunicação através de um bom jogo de snooker.
.
texto: paulo moreira
crédito de imagem: olhares.com - portugal

2 comentários:

aprendendo a viver disse...

Muito bom, cara!!
Vejo que é próprio das turmas depois de uma prova, diga-se de passagem nada divertida, fazer uma atividade complementar como a sua...
Abraços.

luciano disse...

Muito boa Paulo,realmente esses comentários filosóficos transcendem a cura de qualquer síndrome de stress.
Depois de umas partidas profissionais como essas e muitas piadas regadas a cerveja,percebi mais uma vez onde está a felicidade nessa vida,como sempre nos momentos simples ao lado de verdadeiros amigos.