quinta-feira, 23 de julho de 2009

Certezas

Saber amar é não saber mais nada. É desfazer-se dos vínculos que a certeza cria e não ter certezas. É tudo sentir sem nada perceber. Perceber que nada está ao alcance, mas tudo está presente. Que tudo é presente. Que presente é tempo, é dadiva, é estar no infinitivo.
É saber que, no momento em que os olhares se cruzaram pela primeira vez, seriam presentes para sempre. É saber sem nada conhecer. Sem nada por fazer. Sem nada esperar. É ser o presente. Recebê-lo e dá-lo - no passado e no futuro - para que seja sempre presente.
Amar é saber o que não é possível. É não saber o impossível. Esquecer o tempo e sequer saber de si.
É apenas a certeza de saber e mais nada.
Sem nada saber explicar.
Apenas amar.

texto: paulo moreira
imagem: photoforum - rússia

Um comentário:

Rosani Nauar disse...

Paulo

A sua sutileza é a coisa mais bela dentro de todo o seu texto, de acordo com meu olhar tão fascinado pelas tuas linhas...

Li, reli... Não sei comentar à altura!

Abraços,