sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Grandezas - A matemática é mais humana do que aparenta

Iniciando as aulas de matemática, o empenho do professor Pedro Hiane em deixar claro que olhar números é uma coisa, analisar grandezas é outra – certamente nos fez refletir melhor, não apenas sobre matemática ou proporcionalidade, mas sobre o sentido humano do que dizia.
Certa vez, numa empresa em que trabalhei, havia uma questão num teste psicológico, que mostro a vocês:
Da afirmação -“TODOS OS HOMENS USAM SAPATOS”, podemos concluir que HOMENS GRANDES usam:
a) Sapatos pequenos
b) Sapatos
c) Sapatos grandes
d) Sapatos médios
e) Mulheres não usam sapatos
Nem é preciso dizer que, na pressa de responder, cravei a alternativa “C” e depois, desolado, descobri que meu concorrente no teste, possuía 1,90m e um pezinho de bailarina. Um pezinho 38 que, embora INVERSAMENTE PROPORCIONAL ao seu tamanho, levou-o imediatamente a responder “sapatos”. Aquele mini-pé de bailarina foi suficientemente bom para chutar a minha bunda e me tirar da parada.
Viram meu erro do raciocínio? Além de ingênua, minha razão direta, levou-me a um preconceito. Como bem disse o professor, precisamos guardar:
- Não misturem números com grandezas. AO PENSAR EM GRANDEZAS NÃO RELACIONEM COM NÚMEROS. Peguem uma referência e a ela relacionem cada coisa, em separado.
Nossa mente tem, por vezes, a mania de misturar as coisas e, aquilo que não condiz com o que é DIRETAMENTE PROPORCIONAL, temos uma tendência quase que natural de ignorar ou não aplicar o inverso.
Conclusão: Na vida temos que aprender a conviver com razões diretas ou inversas, usando o bom senso, que pode ser até matemático, de acordo com a situação. Mas sem deixar de ser humano. Proporções inversas não são, necessariamente, proporções inválidas.
Um Certo Homem, certa vez, ofereceu a outra face. E provou que saber identificar quando os atos devem ser DIRETA OU INVERSAMENTE PROPORCIONAIS é: inteligente, matematicamente correto; divina e humanamente grandioso.
Vale então lembrar:
Quanto MAIOR o amor recebido, MAIOR o amor a ser dedicado – DIRETAMENTE PROPORCIONAL
Quanto MENOR o amor recebido, ainda MAIOR o amor a ser dedicado – INVERSAMENTE PROPORCIONAL
A matemática é bem mais humana e sensível do que imaginamos. Resta-nos aprender a distinguir os fatores, bons ou ruins, e aplicar.
Até com números funciona, veja só!
Em qualquer caso e em qualquer situação, isso significa GRANDEZA.
.

texto: paulo moreira

3 comentários:

florzinh@ disse...

Parabens Paulo otimo texto adorei... beijos e otimo fim de semana

Tavinho disse...

Paulão, vc sempre me impressiona com sua forma de se expressar, e com sua cultura muito rica msm, parabéns amigão!!!!!!!!!!!!1

rui1965 disse...

Felomenal!!!!!!!!!!!!
Abraço